Sua empresa está preparada para atender o eSocial?

Sua empresa está preparada para atender o eSocial?
Compartilhar nas Redes Sociais

O eSocial começa a vigorar oficialmente a partir de janeiro de 2018 somente para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões

Reduzir a burocracia no cumprimento das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas. Esse é o objetivo do eSocial, sistema informatizado da Administração Pública desenvolvido pelo governo federal e instituído através do Decreto nº 8.373/2014. Após diversas alterações de prazos e cronogramas, ele começa a vigorar oficialmente a partir de janeiro de 2018 somente para empresas que registraram faturamento superior a R$ 78 milhões, tendo como base o ano de 2016). Com o passar do tempo, todas as empresas deverão atender as obrigações do eSocial.

 A inciativa unificará o envio dos dados sobre trabalhadores em relação à Previdência Social, Caixa Econômica Federal, Receita Federal e Ministério do Trabalho e Emprego. As empresas e os profissionais de contabilidade deverão enviar as informações unificadas dos trabalhadores sobre contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS, substituindo o preenchimento e a entrega de formulários e declarações separados.

A consultora trabalhista e previdenciária e coordenadora do Legalmatic na Contmatic Phoenix, Bernadete Conceição, explica que todos os dados enviados para o sistema eSocial já são registrados, atualmente, em algum meio, como papel e outras plataformas online. No entanto, com a entrada em operação do novo sistema, o caminho será único. Na prática, o eSocial será a nova forma de prestação de informações feita pelo empregador e integrará a rotina de mais de 8 milhões de empresas e 40 milhões de trabalhadores.

eSocial promoverá mudanças na rotina da empresa

De acordo com Bernadete, é importante que todas as empresas, independente do seu porte, saibam que a unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas não é um processo simples. “Pelo fato da legislação trabalhista ser arcaica, isso pode causar um choque de realidade quando o eSocial automatizar a fiscalização dessa legislação através de sua malha digital de cruzamento de dados”, alerta a consultora.

Por isso, argumenta ela, é importante que a própria direção da empresa entenda o impacto da mudança e incentive a criação de um grupo de trabalho que envolva os responsáveis de cada área.

Nova ferramenta de monitoramento do eSocial em operação

Constantes treinamentos para organizar os dados

Bernadete Conceição destaca que se a empresa ainda está em fase de testes de preenchimento de suas informações na plataforma eSocial, é fundamental aproveitar o período de testes para organizar sua rotina. Ela também indica que a companhia desenvolva também treinamentos e revise rotinas de trabalho, bem como a maneira como os dados circulam internamente na empresa, envolvendo as áreas de recursos humanos, tecnologia, contábil, logística, folha de pagamento, medicina do trabalho e financeiro.

O eSocial irá gerar uma grande necessidade de alteração nos sistemas, processos e, principalmente, uma alteração cultural na empresa. Por isso não deixe para última hora e comece o seu planejamento do processo de mudança alinhado a sua equipe, como argumenta a consultora da Contmatic.

Saiba como a Contmatic pode ajudar a sua empresa em http://www.contmatic.com.br/

Fique por dentro de todas as novidades na legislação, acesse o Legalmatic.